É possível inovar na advocacia? Quando se fala em inovação as pessoas logo pensam em algo ligado a TI ou publicidade, mas nem de longe pensam em advocacia. Por ser uma profissão pautada em princípios muito conservadores e tradicionais, a advocacia nada tem a ver com inovação, que traduz justamente o contrário; novidade, mudança e renovação.

O ensino jurídico no Brasil é o mesmo do século XIX

As faculdades de direito se concentram apenas em formar advogados estritamente técnicos, conservadores e tradicionais, preocupados unicamente em estudar a lei e a doutrina.

Sendo assim, quando se fala em inovação o advogado logo pensa: “Inovar não é para mim, aliás, se você quer inovar, vá estudar outra coisa como publicidade ou marketing, pois na advocacia tenho que respeitar o código de ética e o tradicionalismo da profissão e não me cabe reinventar ou mudar o que aprendi na faculdade de direito e nos escritórios em que atuei!

Você é igual a 99% dos advogados?

Se você pensa assim, você faz parte dos 99% dos advogados que ainda resistem em despertar e admitir que o mundo vem passando por uma revolução digital que tem avançado e provocado profundas mudanças no comportamento da sociedade e na forma de se fazer negócios, o que exige por parte dos advogados uma quebra de paradigmas e uma abertura de mentalidade para as novas tendências.

Resistir às mudanças é querer ficar ciscando com os perus e deixar de voar com as águias! A escolha é sua, meu caro!

 

O propósito da inovação

A ideia de inovação na advocacia tem como propósito trazer uma nova perspectiva ao mundo jurídico onde o conservadorismo e o tradicionalismo inerentes à profissão precisam abrir espaço para um comportamento mais empreendedor e visionário do advogado.

Inovar na advocacia significa criar novas formas de se relacionar com seus clientes; de buscar novas oportunidades de nicho baseadas nas tendências de mercado; de adotar práticas mais conciliadoras e colaborativas e menos litigiosas; de ajudar o seu cliente a pensar em estratégias para o negócio dele e buscar as soluções empresarias para os problemas que ele enfrenta no seu dia a dia; de implantar uma nova forma de se cobrar honorários; de adotar novas práticas de captação clientes sem ferir o código de ética; de implementar um modelo de trabalho home office, possibilitando mais qualidade de vida e menos custos; enfim, é ter uma postura mais visionária e empresarial do seu escritório e adaptá-lo a um modelo de negócios competitivo e sustentável.

O mundo está mais exigente …. os clientes estão mais exigentes

O modelo tradicional e conservador de advocacia está ultrapassado e não atende mais às exigências do mundo moderno e resistir a isso é como tomar um veneno e ir esperando a morte chegar lentamente.

Assim, torna-se urgente, e até imprescindível, que a advocacia brasileira desperte para a nova realidade e se abra para uma mudança de mentalidade e de desenvolvimento de negócios.

E aí no seu dia a dia? Você vê espaço para inovação? Você sente que é necessário uma nova forma de atuação para atender às demandas deste mercado tão competitivo?

É possível inovar na advocacia?

Venha discutir mais detalhes em nosso Circuito de Palestras que ocorrerá no mês de maio:

Rio de Janeiro: 1º MEETUP DE INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO JURÍDICO onde debateremos sobre o futuro da advocacia e como os melhores advogados têm inovado neste mercado tão competitivo.

Saiba mais neste link.

Goiânia: 1º ENCONTRO DA ADVOCACIA EMPREENDEDORA onde debateremos como inovar em um mercado de 1 milhão de advogados. Falaremos sobre o Advogado 3.0 e como transformar escritórios de advocacia em centros de excelência.

Saiba mais neste link.

Lisandra Thomé – Consultora Sênior na Advoco Brasil

 

Facebook Comentários

Leave a Reply

Desenvolvendo Escritórios de Advocacia - Advoco Brasil (11) 4890-2353 - contato@advocobrasil.com.br